Cães de Aluguel - Resenha

O primeiro longa-metragem de Quentin Tarantino já define o que seria a sua direção pelas suas próximas obras.

Cães de Aluguel - Resenha

Título original: “Reservoir Dogs”

Ano: 1992

Direção: Quentin Tarantino

Roteiro: Quentin Tarantino

Elenco: Tim Roth, Harvey Keitel, Michael Madsen, Steve Buscemi

Em Cães de Aluguel, um grupo de bandidos que não se conhecem precisam lidar com um assalto a banco mal sucedido. A missão parecia simples para os profissionais confiantes: roubar diamantes dentro de um banco. Graças a uma suspeita de que um deles pode ser um policial infiltrado, uma tensão surge entre os criminosos, enquanto eles precisam entender como o assalto deu errado.

O primeiro longa-metragem de Quentin Tarantino já define o que seria a sua direção pelas suas próximas obras: narrativa não linear, trama violenta e muitas homenagens cinematográficas. A história se desenvolve mostrando os personagens lidando com o problema e em outros momentos volta ao passado, para contar como eles se envolveram com o esquema. A violência em seus filmes pode ser considerada por alguns como exagerada e até mesmo desnecessária, porém, ela sempre teve contexto em suas obras. Seja como em Cães de Aluguel, contando uma história sobre bandidos ou em Django (2012), usando a violência caricata para criar um discurso sobre problemas raciais.

Cães de Aluguel é uma obra de um excelente roteirista e diretor iniciante que, hoje em dia, conseguiu evoluir suas habilidades artísticas a um nível muito superior. Recomendado para qualquer pessoa que adore uma trama densa e bem resolvida, cenas de violência memoráveis e diálogos despretensiosos – que não necessariamente evoluem a história, mas são muito bem sucedidos ao apresentar os personagens.

Compartilhe nas suas redes sociais

Bruno

Bruno Nascimento

Estudante de Publicidade e Propaganda; Redator e Fotógrafo em Dose Extra Multimídia; Escritor, Podcaster e Gladiador Dourado em Dose Extra Blog.

Mais publicações do autor…
Você pode gostar: